Retrovisor

Olhando para trás, para 2020, estes são alguns dos projectos em que estivemos envolvidos.

Greenin’

A Greenin’ é uma marca portuguesa de sustainable active and daily wear.

É o projecto em que mais nos vimos envolvidos. Desde a ideia de negócio, participação na definição de modelo de negócio, de produto, desenvolvimento da identidade da marca, plano de marketing e comunicação, mediação de parcerias, desenvolvimento web – em parceria com a HM Developer, fotografia de moda – com a Box32, social media management – em parceria com a Meg Media, produção de conteúdos e muito mais.

Este é o projecto que melhor representa o posicionamento da Graça, do Brainstorming ao Brand Building, num envolvimento total, global, transversal.

2021 é o ano de apresentação da Greenin’ ao público, pelo que este será, garantidamente, um projecto que continuará a desafiar-nos diariamente e ao qual dedicaremos toda a nossa paixão profissional!

Cristina de Almeida

Cristina de Almeida é consultora de imagem, especializada em moda sustentável aplicada à consultoria, a nível empresarial, mas também pessoal.

O ano de 2020 estava destinado a ser o de implementação da marca, mas acabou por ser, dada a conjuntura de pandemia mundial, o ano zero, aproveitado para afinações do modelo de negócio e de toda a estratégia de comunicação.

Tem sido também um projecto de enorme envolvimento da Graça, a toda a linha, na consultoria de marketing, desenvolvimento de identidade, web – com a HM Developer, redes sociais – colaborando com a Meg Media, assessoria de comunicação – em parceria com a Porto de Ideias.

Em 2021 este será também um projecto que estará no topo das nossas atenções, dos mais estimulantes, em que seremos um dos elementos de uma valorosa e dedicada equipa, um verdadeiro consórcio que busca soluções e persegue resultados como a melhor recompensa!

Ego Care

A Ego Care é uma clínica de medicina estética, mais um projecto em que a nossa intervenção foi, também, absolutamente transversal e determinante. Nasce, curiosamente, na sequência de outros dois projectos que assessorámos – Clínica Capilar do Porto e Ever – o que demonstra a confiança que nos é depositada.

Graça interveio desde a definição do projecto, planeamento estratégico, desenvolvimento de identidade, facilitação e mediação de contactos, estudo de mercado, plano de marketing, gestão de redes sociais, etc.

A Ego Care é daqueles projectos que abraçámos como nosso, ajudámos a conceber, a nascer e a criar.

Infelizmente o processo nem sempre foi pacífico, com alguma ingerência pelo caminho e dificuldades da Ego Care em cumprir os pressupostos, o que determinou, ao fim de 1 ano, o fim da nossa consultoria. Este é, de facto, daqueles projectos que muito lamentamos ter de abandonar, mas mantemos a esperança que a marca consiga erguer-se.

netUS

A netUS entra nesta nossa resenha, não pelo projecto em si, muito menos pelo processo – um autêntico pesadelo, ainda por resolver – mas porque é exemplificativo da capacidade da nossa equipa em se adaptar às ambições/ limitações dos clientes.

Tudo começou como um desafio, em 2018 (!), de renovar a identidade visual da marca, adaptando-a às novas necessidades comunicativas dos anos 20.

Numa primeira abordagem, Graça apostou num rompimento com a imagem existente, tal era a sua inadequação à actualidade. No entanto, esse passo verificou-se arrojado demais para a empresa, que pretendeu uma segunda proposta, mais em linha com o existente.

Resultado final?

Uma imagem moderna, sóbria, mas dinâmica, uma linguagem que garante uma certa continuidade de identidade, ao mesmo tempo que representa uma evolução e um transportar da marca do século XX para os anos 20 do século XXI.

Em contra-ciclo…

O dia 1 de Janeiro é isso mesmo. O primeiro dia de um mês.

Representa, na prática, um método de medição do tempo, adoptado há mais de 400 anos.

Neste caso, coincide com o primeiro dia do ano, assumindo, para muitos, uma importância quase irracional. É neste dia que muitos esperam que as coisas mudem para melhor, por artes mágicas, da noite para o dia, literalmente.

Este primeiro de Janeiro, após um 2020 tão difícil para a humanidade, que colocou em causa tudo o que de mais básico tínhamos por adquirido, foi inundado de esperanças, pedidos e até algumas exigências!

Compreensível, mas a má notícia nisto tudo é que nada acontece por acaso ou por magia…

Seja pelos nossos esforços diários ou pelo simples bater de asas de uma borboleta do outro lado do planeta, tudo é regido pela lei da causa e efeito.

Por cá, é nisto que acreditamos e aproveitamos o dia 1 de Janeiro para fazer aquilo que regularmente fazemos ao longo do ano: balanços e planos!

O balanço de 2020 tem de ser feito, obviamente, à luz de uma realidade dura. Um ano devastador na vida das pessoas, mas também nos negócios, com uma crise a nível mundial, sem precedentes.

Vivemos os últimos meses a ouvir colegas, fornecedores e clientes a relatar as enormes quebras sofridas. Sentimos como foi e ainda é complicado conseguir receber, o que demonstra a enorme fragilidade que a economia atravessa.

Mas nós somos do contra, o tal contra-ciclo!

Enquanto ao nosso lado ouvimos falar de quebras assustadoras na facturação, Graça fecha 2020 com um crescimento de 24%!

É um recuo, face ao crescimento dos últimos 4 anos, mas revela, ainda assim, que o nosso trabalho está a ser bem feito e que continuámos a merecer a confiança do mercado!

Revela também a capacidade de adaptação da nossa equipa, que soube entender as novas necessidades do mercado, muito particularmente dos nossos clientes, que contam, ainda mais, com Graça enquanto parceiro sempre presente, numa relação de confiança e apoio contínuo.

Cada vez menos somos uma equipa que presta serviços. Somos aquela equipa que está sempre lá, ao lado, que abraça os projectos dos nossos clientes como se nossos fossem!

Isto, claro, obriga-nos a rever tudo. O nosso apoio tem de ser completamente transversal, temos de apresentar soluções, desde o momento em que os projectos ainda são apenas isso, ideias, até ao dia em que se transformam em marcas construídas e com vida própria!

Percebemos que o papel que os clientes nos atribuem é fulcral, desde o brainstorming ao brand building.

Este é o verdadeiro ponto de viragem para 2021. Reinventámos a nossa organização, aproveitando toda a flexibilidade que um colectivo de profissionais nos garante. Vamos ao encontro dos desejos dos nossos clientes e somos agora, ainda mais, um parceiro que quer participar nos projectos, idealizando, organizando, planeando, executando.

Claro que ainda temos todos os serviços (e mais ainda) que nos trouxeram até aqui, mas, doravante, queremos que Graça seja vista como um conjunto de fiéis e dedicados Nomadic Marketing Consultants.

Venham de lá esses desafios!

PS: obrigado a toda a equipa, colegas, fornecedores e clientes pelo 2020 em contra-ciclo!

Abuso do direito de autor

A protecção legal, que confere aos autores defender as suas obras do uso abusivo das mesmas ou simplesmente de tentativas de cópia ou “colagem a”, é frequentemente arma utilizada em batalhas comerciais.

Em França a Polestar, marca automóvel ligada à Volvo, foi impedida de vender os seus veículos porque, alegadamente, o seu logótipo viola os direitos autorais das marcas francesas Citroën e DS.

Custa a crer que qualquer autor, na sua total boa-fé e liberto de outras questiúnculas em nada relacionadas com processos criativos, considere que a Polestar violou os direitos das marcas gaulesas.

O respeito que os autores exigem pelo seu trabalho deve ser o mesmo que prestam pelo trabalho dos outros.

Um autor que alinhe nestas manobras comerciais não demonstra qualquer afinidade pelos seus pares.

Como estabelecer o limite do que é verdadeiramente criação original, passiva de protecção a toda a linha?

COVID-19 vs GRAÇA

person wearing black gas mask

Vivemos tempos… diferentes! Não é fácil encontrar uma palavra para descrever a tensão que paira no ar. Na verdade, nem há necessidade de encontrar essa palavra, pois todos temos sentido esta angústia, este desnorte, esta sensação de vulnerabilidade que a pandemia COVID-19 nos provoca.

Se no início do ano nos dissessem que, passados 3 meses, estaríamos a entrar num mais do que provável bloqueio do país, ninguém acreditaria! Afinal de contas, “aquilo” era apenas um vírus na China, nada que pudesse afectar-nos verdadeiramente.

Mas, então, como tem o COVID-19 afectado a nossa empresa?

Bom, já há uns anos que adoptámos o nomadismo digital como nossa forma de trabalhar, portanto o, agora tão famoso, teletrabalho é uma realidade diária para a nossa equipa, quase há 5 anos. A grande diferença é que agora trabalhamos a partir da casa de cada um e não em locais públicos.

Pelo mesmo motivo, já é hábito que as nossas reuniões de equipa sejam maioritariamente virtuais. Nos próximos dias, serão na totalidade!

Também a nossa postura de responsabilidade pela sustentabilidade ambiental, sempre fez com que evitássemos deslocações ou reuniões desnecessárias, o que de igual forma nos tem protegido nesta fase. Assim, por algum tempo, não faremos reuniões presenciais com os nossos clientes.

As boas práticas de ecodesign e de ecomarketing fez com que desde sempre optássemos por comunicação digital, ao invés da impressa, o que, face ao COVID-19, se revelou como uma boa prática também na prevenção.

O mesmo relativamente aos recebimentos, há muito que disponibilizámos referências de pagamento, evitando assim as transacções em dinheiro vivo ou cheques.

Curiosamente, ainda como medida de sustentabilidade, temos vindo a optar por artigos, por exemplo de merchandising e brindes, de produtores nacionais, evitando a todo o custo os produtos importados, nomeadamente chineses…

Ou seja, coincidentemente, ou não, a nossa forma de actuar revela-se, também nesta batalha contra este flagelo mundial, como a mais acertada!

O COVID-19 pouco nos tem afectado nas rotinas diárias, a nossa organização interna assim o permitiu. Sofremos, sim, por cada cliente nosso afectado.

Mas, não prevendo nenhum apocalipse, assim continuaremos, a trabalhar, com responsabilidade e mais cuidados, mas a trabalhar! Podem contar com a Graça, mesmo em tempos difíceis como estes!

Não há marketing digital

A revista Marketeer noticia que uma das funções que serão mais procuradas pelo retalho em 2020 será a de Marketing Digital ou Digital Marketeer.

Ponto número 1, é mais correcto o termo marketer para designar um profissional da área do marketing.
Ponto 2, a revelação mais chocante, não existem digital marketers, nem marketing digital!

O marketing digital é tão só a aplicação dos conceitos do marketing tradicional aos meios digitais, a utilização de ferramentas digitais para colocar em prática as regras do marketing. Seria a mesma coisa que criar termos como marketing televisivo ou marketing impresso, consoante as ferramentas escolhidas.

O marketing digital não existe!

É comum confundir o marketing digital com o domínio das ferramentas digitais, como os Ads do Facebook, Instagram ou Google, mas é muito mais do que isso.

Será muito difícil conciliar num só indivíduo as capacidades de dominar a disciplina do marketing tradicional, com a habilidade de utilizar as ferramentas e linguagens digitais, salvaguardando raríssimas excepções, que tenham optado por desenvolver essas duas linhas, tradicionalmente tão opostas.

Se é um dos muitos recrutadores que procuram este mix num só profissional, conte com uma boa dose de insatisfação perante os resultados.

Saiba que na Graça, quando nos referimos a marketing digital, estamos a designar um serviço que cruza disciplinas como o marketing, design e web development, entre outros. Aqui o marketing digital é um serviço de marketing tradicional, que recorre a profissionais de outras áreas, para garantir o melhor e mais eficiente serviço.

Por tanto, se procura resultados através de meios digitais, contrate um bom profissional de marketing e deixe que seja ele a escolher a sua equipa de geeks, informáticos, designers, etc.

+33% de Graça

O ano passado, 2019, manteve a nossa tendência de crescimento. Quebrámos o ritmo, é certo, mas conseguimos, no final das contas, crescer 33% face a 2018!

Fomos desafiados para novos projectos, reforçámos relações com clientes velhos conhecidos e embarcámos em aventuras, com novos clientes, amigos para a vida.

Mas nem tudo foi positivo, também tivemos maus clientes, os que não pagaram, os que não cumpriram contratos, os que boicotaram projectos. Felizmente conseguimos entrar no novo ano livres destas amarras e esperançosos em novos tempos de respeito e cumplicidade.

O legado que 2019 nos deixa é de confiança, pois estamos cada vez mais sólidos, somos cada vez mais reconhecidos e recomendados, pelo que temos de continuamente agradecer a todos os que em Graça depositam essa confiança.

Rebrand Roguel

Quando a Roguel, empresa de Valença do Minho, com mais de 30 de actividade, apresentou a Graça o desafio de desenvolver o seu novo website, não estava nos planos a renovação da sua identidade. Pelo contrário, era algo com que a sua Administração estava plenamente satisfeita.

No entanto, no decorrer do processo, a nossa equipa decidiu avançar com uma proposta de rebrand da Roguel, coerente com a renovação do website, apostando numa imagem global de acordo com os padrões actuais de comunicação gráfica.

Partindo da antiga identidade, respeitando a sua existência passada, decidimos manter alguns aspectos fulcrais, que contribuem para uma identificação facilitada e uma mutação suave, sem disrupções desnecessárias.

Assim, foi adoptado o elemento principal, o R envolto num círculo, agora muito mais etilizado. Como tipografia a opção recaiu numa de carácter robusto e actual, conferindo à marca valores como a solidez, confiança, perseverança, modernidade.

As cores escolhidas partiram também da base cromática anterior, azul e laranja, mas agora enobrecidos para um elegante azul noite e um rico ouro velho.

Este processo é revelador da nossa forma de actuação. Quando aceitamos um projecto, não nos limitamos ao que nos é solicitado, olhamos as marcas como um ser, um todo, num trabalho transversal. Porque só assim entendemos a comunicação, o marketing, o design.

Compromisso para um planeta com mais Graça

2020 é um número redondo e para nós serviu como pretexto para uma introspecção, que nos levou a uma consciencialização de toda a problemática ambiental e do futuro do planeta para as gerações que nos procedem.

Sentimos o dedo apontado para nós, justificadamente, como os responsáveis geracionais pelo estado a que o planeta chegou e pelas consequências desastrosas que castigarão os nossos filhos, se nada for feito para o impedir ou minimizar.

Sabemos que isoladamente não conseguiremos inverter o curso da destruição massiva da natureza, do planeta e da raça humana, mas estamos convencidos que é nosso papel e obrigação mudar e incentivar à mudança.

Graça assume, a partir de 2020, uma atitude ambiental consciente, com medidas internas concretas, mas também, sempre que nos permitirem, durante todo o processo de desenvolvimento do nosso trabalho, junto de clientes, parceiros e fornecedores, porque também o marketing e o design podem ser ecológicos e sustentáveis:

1. Actuar conscientemente em todas as fases dos projectos, na criação, pré-produção, produção, transporte, uso e descarte;

2. Aplicar directrizes sustentáveis na vida profissional e pessoal, envolvendo equipa, família, clientes, parceiros e fornecedores;

3. Projectar e incentivar clientes para a reutilização;

4. Privilegiar a comunicação dirigida, no lugar da divulgação em massa;

5. Utilizar provas de materiais em formato digital e incentivar os clientes a optar por comunicação não-física;

6. Eliminar páginas em branco em livros e outras publicações, utilizar formatos de papel sem desperdício, gramagens mais baixas e quantidades adequadas às necessidades;

7. Utilizar papel reciclado ou livre de cloro;

8. Minimizar a cobertura de tinta na impressão e optar por tintas baseadas em óleos vegetais, com pigmentos isentos de metais pesados;

9. Optar por vernizes à base de água, evitar laminações ou plastificações;

10. Procurar fornecedores com preocupações de sustentabilidade ecológica nos seus processos e premiar clientes comprometidos com o meio ambiente;

11. Optar por artigos de merchandise, brindes e ofertas locais, não importados, com menor pegada ecológica;

12. Optar por uma actividade profissional responsável, escolher caminhar ou utilizar transportes públicos e incentivar clientes a reduzir as reuniões que impliquem deslocações às estritamente necessárias.

São medidas simples, o nosso compromisso para com as gerações futuras e o planeta.

O início de um novo ano, mais do que tudo, é tempo para balanços e mudanças.

Por cá também fazemos esse exercício e escrevemos no papel (e na alma) as resoluções para os próximos anos:

. tocar apenas nos pontos certos

. desenvolver trabalho com assinatura

. mostrar a nossa raça

. fazer marketing excitante.

Sejam bem-vindos, isto é algo para se fazer a dois, no mínimo!

.GRAÇA

Marketing Excitante

graca@graca.com.pt

910 012 762

Create your website with WordPress.com
Get started